SOBRE 


Meu nome é Carla Ferreira, mineira de Belo Horizonte. Filha da dona Sania e do seu Ferreira. Tenho dois irmãos: a Silene e o Felipe, mais novos que eu… Tenho cunhados, sobrinhos, cães (a Raica e o Tobias, lindoooossss). Rsrs

Trabalhei como bancária por muuuito tempo (não conto quanto)!! Hehehe… E digo que esses anos me ajudaram a formar a profissional que sou hoje.

Em 2015, decidi desenvolver minha paixão pela fotografia. Após vááários meses de estudos na Escola de Imagem;  a leitura de muitos livros, participação em workshops e congressos da área, resolvi me profissionalizar. Os estudos? Não param nunca. Curiosidade é mato! Rsrs

Então surgiu a Todas As Tribos, que nasceu da vontade de compartilhar sonhos e eternizar momentos. Na fotografia, encontrei uma interseção entre a beleza única dos instantes que vivemos, com a essência singular de cada um; que só é possível de ser capturada, quando é encurralada pela mesma natureza peculiar do olhar atento e interessado.

Fotografo ensaios e eventos em geral (inclusive mini-weddings, que são casamentos íntimos com até 100 (cem) convidados). Trabalhos relacionados a lifestyle e família (toda forma de família). Amo pessoas de Todas as Tribos, povos ou raças, de qualquer cultura, língua e nação.

A fotografia para mim é a arte de capturar afetos, eternizá-los como uma memória que pode ser vivida de forma mais intensa a cada apreciação. É uma forma de trapacear o tempo. Me entrego à empatia do encontro com o outro, buscando compreender suas emoções, a peculiaridade das suas vivências em todos os traços e nuanças, sua interação com o ambiente e seus infinitos. Desse encontro, fazemos do nosso olhar um só com o todo acontecendo. Um só com Todas as Tribos do mundo.

Vivo a fotografia. Me locomovo, vou a qualquer lugar. Carrego meu olhar e instrumentos em favor das memórias incomparáveis – não importa qual é o seu cenário, meu frame se nutre do encontro e da harmonia com os ambientes espontâneos. Me movimento para refletir na imagem irremediavelmente estática, todo o movimento da vida. Valorizo cada momento, e faço disso o meu desafio: capturar os momentos no espaço para resgatar os afetos no olhar.